quinta-feira, 9 de julho de 2015

Cores Alegre

Para quem acha que só fala do lado ruim de Porto Alegre, muito se engana. Procuro também as coisas boas que fazem com que tenhamos orgulho de morar aqui. Crio minha filha nesta cidade e quero que ela tenha o mesmo amor que tenho. Sempre que passo na Redenção, por do sol no Guaíba, entardecer no Germânia e todos os lugares que toquem no coração de cada um de vocês. Hoje quero apenas agradecer aos pequenos detalhes que trazem mais cor para nossa cidade, sem propaganda, sem publicidade apenas agradecer.


Esta foto foi tirada de uma parede na Protásio Alves, no muro de uma casa antiga, mas que de alguma maneira, deixa aquele pedaço da avenida mais vivo, mais alegre. Todos que passam têm uma boa visão dessa obra feita com tampas de garrafas, confesso que não pesquisei a história dela, apenas me encantei por em um mar de concreto e transito um raio de cor. 


Não sei se por moda (coisa que não entendo nada), frio ou propaganda, estas duas árvores da Eudoro Berlink estão vestidas. Sim com todas as cores possíveis, fazendo com que, as pessoas que descem do ônibus naquela parada dêem de cara com elas. Pra mim foi um espanto, pois desci muito tempo naquela parada, agora voltando lá me deparo com isso. 

Quero parabenizar as iniciativas, mesmo este blog sendo imperceptível da grande maioria, pelo menos o agradecimento de duas pessoas vocês já tem, minha filha e eu. Obrigado por trazer cor para nossa selva de pedra, mesmo não sabendo os motivos e destinos que esperam estas duas obras, seus ideais já foram o suficiente para alegrar algumas pessoas.

Porto Alegre, deu!


segunda-feira, 6 de julho de 2015

Garrafas



Quem me conhece sabe o tanto que abomino bebida alcoólica, mas respeito quem gosta, quem bebe e cada um sabe de si. O que me incomoda é encontrar uma pilha de garrafas de cachaças jogas no passeio da rua. Isso sim me faz perder a compostura – aí alguém vai dizer: não ta gostando, junta! – porém o problema não é esse. O problema é a irresponsabilidade de deixar um monte de garrafas de vidro na rua, podendo alguém cair e se machucar por cima delas.

            Todo bêbado é porco? Nesse caso não vou generalizar, pois conheço alguns que são até bem limpinhos. Fora o assunto consumo álcool que será tratado em um futuro próximo, o que leva uma pessoa a jogar garrafas vazias na rua, o que leva um ser humano a ser tão desprendido de educação básica e que lixo se coloca no lixo? Imagino minha filha de 4 anos sem querer tropeçando e se cortando talvez, uma série de pessoas que passam ali todo dia.

            Mas vem cá, pq tanto ódio com as garrafas? No quadrado vermelho, marquei as famigeradas garrafas e no amarelo a escola da minha filha. E no sentido contrário além de uma igreja, temos outra escola, ou seja o descaso é tanto que parece proposital que elas estejam ali, apenas com o intuito de fazer o mal.


Porto Alegre, deu?